terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Esgoto a céu aberto: Juazeiro precisa erradicá-lo.

Esgoto a céu aberto em plena Rua Pe. Cícero, uma das principais da cidade.

Imagine você planejar uma viagem para uma cidade famosa, a qual todos falam estar cercada de misticismo, magia, com comércio forte e crescente desenvolvimento, mas assim que você desembarca e vai dar o primeiro passeio nas ruas deste lugar os seus olhos encontram um pequeno rio de águas sujas e fétidas. Quanta decepção, hein? Pode até aproveitar as atrações do local, contudo, nas conversas com os amigos sempre relatará aquela primeira triste impressão. Pois assim devem se sentir vários visitantes de Juazeiro do Norte.

Falta de saneamento básico, esgotos a céu aberto. Problema de toda cidade brasileira, principalmente nas áreas periféricas, onde vive a população esquecida pelos governantes. Por aqui não há distinção, bairros centrais e periféricos convivem com o mesmo problema. Interessante que em boa parte da cidade foi construída uma rede coletora, isto durante o governo Collor, contudo mesmo assim as águas fétidas insistem em permanecer. Por que isto acontece? As pessoas não usam a rede coletora? A taxa de utilização é cara? Ou o sistema de canos não suporta a demanda?
  
O tempo passa e pouco se discute sobre este assunto. Parece que todos, governo e sociedade, sempre fizeram “vista grossa” e guardaram a sujeira para debaixo do tapete. Em qual campanha para prefeito o saneamento básico foi abordado? Não me recordo. Chegou então a hora da virada! Juazeiro cresceu demais, as romarias se tornaram gigantescas, empresas nacionais e estrangeiras fincaram suas bandeiras em nosso solo, e a comunidade universitária vai se firmando com sua cultura globalizada. Não podemos mais admitir comportamento do tempo do Império, quando os moradores das cidades jogavam baldes de urina pelas janelas das casas.
Erradicar o esgoto a céu aberto não é uma questão somente de estética, para deixar a cidade bonita aos turistas. Significa verdadeiramente numa questão de saúde pública e qualidade de vida. Para os governos, apesar de ser uma obra enterrada no chão, acarretará em menos gastos com remédios e insumos, pois a população sadia não lotará postos de saúde e hospitais. E para a taxa do esgoto não ser impopular, pode-se criar uma tarifa econômica, por exemplo. Sempre há alternativas.

Ano que vem teremos eleições municipais. O saneamento básico precisa entrar no debate político ao lado de outros assuntos como o trânsito, habitação, geração de empregos e a conservação das praças. Futuros candidatos a prefeito da Terra do Pe. Cícero: apresentem suas propostas!

5 comentários:

  1. O problema é querer comparar desenvolvimento com crescimento econòmico. Nos últimos anos a cidade de Juazeiro tem crescido em pompas, infelizmente, não se desenvolveu como tal; Um exemplo de contraste é o boom do setor imobiliário, em contrapartida, mais de 90% das ruas possumem esgosto à céu aberto. Cabe aos juazeirenses analisarem esses fatos e constatarem que Juazeiro também deve ser desenvolver, tanto em saúde, educação, moradia, transporte público entre outros.

    ResponderExcluir
  2. ótima matéria, parabens.

    ResponderExcluir
  3. Também concordo, os moradores de Juazeiro não devem se contentar com os investimentos econômicos pensando apenas no capitalismo e sim olhando para a qualidade de vida. Não entendo como uma cidade que recebe tanto dinheiro de impostos arrecadados com o turismo religioso, ter mais de 90% das ruas com esgotos a céu aberto, isso é VERGONHOSO!

    ResponderExcluir
  4. Cícero Gomes de Sousa30 de dezembro de 2011 14:06

    acabei de ler no Diário:
    Sobral recebe 65 milhões em investimentos industriais a partir de janeiro, com implantação do Pólo Metal-mecânico.
    Nada contra Sobral, pois não a conheço, mas soube em uma matéria de há uns 3 meses atrás que a prefeitura de Sobral investiu 135 milhões no saneamento básico nos últimos 3 anos, e a cidade hoje conta com 95% de cobertura de esgotamento sanitário. Com todo o nosso poder de atrair investimentos lojisticos, e consequentemente impostos para o município, já não é hora de nós juazeirenses cobrarmos invetimentos sociais em nossa urbe? Sobral não está nos passando pra trás, está, sim, nos dando exemplos de cuidado com sua gente. Vamos nos espelhar no que eles tem de bom. Um sobralense está concorrendo ao premio de Direitos Humanos da ONU em janeiro, os projetos sociais de Sobral são premiados no exterior, o sucesso da educação sobralense é tema de programas da Globo e do Ministerio da Educação, um outro sobralense vai representar o Brasil como jovem embaixador, O Trevo de Quatro Folhas, projeto sobralense, vai se expandir por 6 países da América Latina, com apoio da Unicef, o Financial Times, da Inglaterra, indicou Sobral como uma cidade ideal para investir... Em vez de muitos leitores virem aqui desdenhar de Sobral, vamos aprender com eles. Por que não? Se não fizermos nada, as indústrias vão sempre escolher Sobral, afinal lá o cidadão é a preferencia do poder público. Que indústria não se sentiria bem em ir para uma cidade assim?

    ResponderExcluir
  5. Concordo, cídero gomes. Projetos sociais é a nossa maior carencia. No jornal O Povo de hoje destacou mais uma tacada dos políticos do Norte: Sobral firma parceria com cidade referência em coleta de lixo na Suécia.
    Cuidar de nossa gente. É isso o que nos torna mais desenvolvido, plenamente cidadão. Nossas melhorias sociais devem começar pela consciencia de nosso povo em exigir isso dos nossos representantes. Juazeiro é uma cidade ímpar, e teremos eleição esse ano. Uma grande oportunidade de realizarmos profundas mudanças em favor de nosso Juazeiro, o que beneficiaria todo o Cariri.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja aqui algum assunto de seu interesse

Se não encontrou seu assunto acima, digite abaixo e clique em pesquisar

Postagens mais acessadas do mês